sábado, 6 de setembro de 2008

All Bran, o grande coiso-cereal intestinal que veio dominar o mundo!

Cá estou eu de novo a «atacar» o mundo da publicidade.
Visto que passo longos tempos vendo e/ou ouvindo televisão, reparo muitas vezes (em momentos de não-zapping-por-comando-avariado) nas grandes preciosidades de «reclames» com que somos diariamente bombardeados.
Há muitas publicidades simples e inofensivas, mas há outras que nso deixam no rosto estampadas palavras como, MEDO, ESPÉCE, QÉ-ISTO?
Quando estiverem num dos vossos belos momentos de ver publicidade televisiva, reparem na mais recente publicidade da All Bran. Que consiste no seguinte, há um detector de metais de um aeroporto ou coisa parecida, vem uma senhora que comeu All Bran (aquela chata das burocracias das publicidades anteriores da All Bran), a máquina apita e ela começa a fazer uma espécie de streptease, com toda uma tranquilidade, que parecia que já o fazia desde os 4 anos e 5 meses (mas esta ideia é impossivel, porque ela só está assim por causa do All Bran, e ela só começou a comer All Bran quando o gajo que ela chateava por causa das burocracias a aconselhou a comer, a não ser que ela aos 4 anos e 5 meses já tivesse tomado dulcolax), e pronto ali está ela toda feliz a tirar a roupa. O segurança que se encontra ao lado da dita máquina detectora de metais, olha para ela com uma cara de carneiro mal morto que pensa: olha no que a gaja das burocracias se tornou hãn, ca doida, calhava bem era agora aqui uma basuca para a abater, nunca mais a vou perdoar, desde aquele dia de 45º graus em que me mandou ir procurar o bilhete de identidade que me tinha caído na rua! Eu aqui com o intestino por esvaziar e ela parece que ainda goza comigo.
A rapariga, ao ver a cara do homem, sorri e diz-lhe: Precisa de comer All Bran!
O senhor, por uma razão qualquer aceita o conselho e fica também todo sorridente depois de comer All Bran.
Enquanto um cámone se dirige à máquina cheio de correntes, e fios e coisas assim, e com cara de poucos amigos, e a máquina apita. O segurança não faz mais nada, todo sorridente manda-o seguir viagem (só porque graças ao All Bran aliviou o seu intestino e por isso está muito feliz).
Quer dizer, se aparecer lá um menbro da Al-Qaeda com uma bomba, o segurança ri-se deixa-o passar, depois a bomba explode e o suposto segurança, todo feliz (graças ao All Bran) diz: - Epáh, tu precisas é de All Bran, tás cá com uns gases!
É p'ra isto que querem que a população se alimente de All Bran?! aiiii.o mundo está perdido!

3 comentários:

Sorrisos em Alta disse...

Não conhecia, mas vou dizer ao Pinto da Costa para provar o All Bran...

Rita Kaulisting disse...

Parti.m a rir com estas história'zinhas q páqi contas xD

Qero mais coisas sobre os gritos extridentes da nossa amiga J´lia Pinheiro xD

Dário Guerreiro disse...

Nunca provei dessa coisa, e a pouca vontade que tinha de o fazer, tiraste-ma agora.